Concepção, Gestação, Bebê e Infância
Casal e Família
Relações de Gênero
Sexualidade Humana
DST's & AIDS
Métodos Contraceptivos
Estresse & Ansiedade
Medos & Fobias
Saúde & Prevenção
Hábitos e Disfunções Alimentares
Qualidade de Vida
Neurociências
Dependência química
Farmacologia
Psicologia Organizacional
Psicologia Acadêmica
Psicologia do Trânsito
Ética & Legislação
Direitos e Declarações Universais
Instituições
Notícias
Indicações Bibliograficas
Utilidade pública
Normas e Responsabilidades
Sobre o Site



Marcos A. L. Renna - Contato: 2965-4042 / 98458-4892
DSM-IV
4ª Edição
Home » DSM-IV » Delirium Induzido por Substância - 293.0

Delirium Induzido por Substância - 293.0

Delirium Induzido por Substância


Características Diagnósticas e Aspectos Associados


Para o diagnóstico de Delirium Induzido por Substância, deve haver evidências, pela história, exame físico ou achados laboratoriais, de Intoxicação ou Abstinência de Substância, efeitos colaterais de medicamentos ou exposição a toxinas com suposta relação etiológica relacionados ao delirium (Critério D). Um delirium que ocorre durante Intoxicação com Substância é diagnosticado como Delirium por Intoxicação com Substância; um delirium que ocorre durante Abstinência de Substância é diagnosticado como Delirium por Abstinência de Substância, e um delirium associado com efeitos colaterais de medicamentos ou exposição a toxinas é diagnosticado como Delirium Induzido por Substância (ver critérios estabelecidos para Delirium por Intoxicação com Substância.

O Delirium que ocorre durante a Intoxicação com Substância pode surgir minutos a horas após o consumo de doses relativamente altas de certas drogas como cannabis, cocaína e alucinógenos. Com drogas tais como o álcool, barbitúricos ou meperidina, o delirium às vezes se desenvolve apenas após uma intoxicação mantida por alguns dias. Habitualmente, o delirium resolve-se à medida que cessa a intoxicação ou dentro de algumas horas ou dias após seu término (embora a duração possa ser mais longa após a intoxicação com fenciclidina).

O delirium associado com Abstinência de Substância desenvolve-se à medida que as concentrações da substância nos tecidos e líquidos corporais diminuem após a redução ou término de um uso prolongado e habitualmente em altas doses de certas substâncias. A duração do delirium tende a variar de acordo com a meia-vida da substância envolvida: substâncias de ação mais longa em geral estão associadas com síndrome de abstinência mais prolongada. O Delirium por Abstinência de Substância pode persistir por apenas algumas horas ou por até 2-4 semanas.

Esse diagnóstico deve ser feito ao invés de um diagnóstico de Intoxicação com Substância ou Abstinência de Substância apenas quando os sintomas cognitivos excedem aqueles habitualmente associados com a síndrome de intoxicação ou de abstinência e quando os sintomas são suficientemente severos para indicar uma atenção clínica independente. Para uma discussão mais detalhada sobre as características associadas com Transtornos Relacionados a Substâncias.


Procedimentos de Registro


Um diagnóstico de Delirium Induzido por Substância é acompanhado pelo nome da substância específica (ao invés da classe de substâncias) supostamente causadora do delirium (por ex., "Diazepam", ao invés de "Sedativos, Hipnóticos ou Ansiolíticos"). O código diagnóstico é selecionado a partir da listagem de classes de substâncias oferecida no conjunto de critérios. Para substâncias que não se enquadram em qualquer das classes (por ex., digitais), o código para "Outra Substância" deve ser usado. Além disso, para medicamentos prescritos em doses terapêuticas, o medicamento específico deve ser indicado listando-se o código E apropriado (ver Apêndice G). Para substâncias que produzem intoxicação ou abstinência, o nome da substância é acompanhado pelo contexto no qual os sintomas se desenvolveram (por ex., 292.81 Delirium por Intoxicação com Dextroanfetamina; 291.0 Delirium por Abstinência de Álcool). Para efeitos colaterais de medicamentos e exposição a toxinas, utiliza-se o termo "Induzido" (por ex., 292.81 Delirium Induzido por Digitais). Quando mais de uma substância possivelmente exerce um papel significativo no desenvolvimento do delirium, cada uma delas deve ser listada em separado. Se uma substância é considerada um fator etiológico mas a substância ou classe de substâncias específica é desconhecida, o diagnóstico é 292.81 Delirium Induzido por Substância Desconhecida.


Substâncias Específicas


O Delirium por Intoxicação com Substância pode ocorrer com as seguintes classes de substâncias: álcool; anfetaminas e substâncias relacionadas; canabinóides; cocaína; alucinógenos; inalantes; opióides, fenciclidina e substâncias relacionadas; sedativos, hipnóticos e ansiolíticos, e outras substâncias desconhecidas. O Delirium por Abstinência de Substância pode ocorrer com as seguintes classes de substâncias: álcool (freqüentemente chamado "delirium tremens"); sedativos, hipnóticos e ansiolíticos, e outras substâncias ou substâncias desconhecidas.

Os medicamentos que causam delirium, conforme relatos, incluem anestésicos, analgésicos, agentes antiasmáticos, anticonvulsivantes, anti-histamínicos, anti-hipertensivos e medicamentos cardiovasculares, antimicrobianos, drogas antiparkinsonianas, corticosteróides, medicamentos gastrintestinais, relaxantes musculares e medicamentos psicotrópicos com efeitos colaterais anticolinérgicos. As toxinas que causam delirium incluem anticolinesterase, inseticidas organofosforados, monóxido de carbono, dióxido de carbono e substâncias voláteis, tais como combustíveis ou tintas.


Diagnóstico Diferencial


Critérios Diagnósticos para Delirium por Intoxicação com Substância

A. Perturbação da consciência (isto é, redução da clareza da consciência em relação ao ambiente), com capacidade reduzida para focalizar, manter ou deslocar a atenção.

B. Uma alteração na cognição (como déficit de memória, desorientação, perturbação da linguagem) ou o desenvolvimento de uma perturbação da percepção não melhor explicada por uma demência preexistente, estabelecida ou em evolução.

C. A perturbação desenvolve-se ao longo de um curto período de tempo (geralmente de horas a dias), com tendência a flutuações no decorrer do dia.

D. Existem evidências, a partir da história, exame físico ou achados laboratoriais de (1) ou (2):

(1) os sintomas nos Critérios A e B desenvolveram-se durante a Intoxicação com Substância

(2) o uso de medicamentos está etiologicamente relacionado com a perturbação*.

Nota: Este diagnóstico deve ser feito ao invés de um diagnóstico de Intoxicação com Substância, apenas quando os sintomas cognitivos excedem aqueles habitualmente associados com a síndrome de intoxicação e quando os sintomas são suficientemente severos para indicar uma atenção clínica independente.

*Nota: O diagnóstico deve ser registrado como Delirium Induzido por Substância se estiver relacionado ao uso de medicamentos. Consultar o Apêndice G para códigos E, indicando medicamentos específicos.

Codificar Delirium por Intoxicação Com [Substância Específica]:


291.0 Álcool;

292.81 Anfetamina [ou Substância Tipo-Anfetamina];

292.81 Canabinóides;

292.81 Cocaína;

292.81 Alucinógenos;

292.81 Inalantes;

292.81 Opióides;

292.81 Fenciclidina [ou Substância Tipo Fenciclidina];

292.81 Sedativos, Hipnóticos ou Ansiolíticos;

292.81 Outra Substância [ou Substância Desconhecida] [por ex., cimetidina, digitais, benzotropina]).


Critérios Diagnósticos para Delirium por Abstinência de Substância

A. Perturbação da consciência (isto é, redução da clareza da consciência em relação ao ambiente), com redução da capacidade de focalizar, manter ou deslocar a atenção.

B. Uma alteração na cognição (como déficit de memória, desorientação, perturbação da linguagem) ou o desenvolvimento de uma perturbação da percepção não melhor explicada por uma demência preexistente, estabelecida ou em evolução.

C. A perturbação desenvolve-se ao longo de um curto período de tempo (geralmente de horas a dias), com tendência a flutuações no decorrer do dia.

D. Existem evidências, a partir da história, exame físico ou achados laboratoriais, de que os sintomas nos Critérios A e B desenvolveram-se durante ou logo após uma síndrome de abstinência.

Nota: Este diagnóstico deve ser feito ao invés de um diagnóstico de Abstinência de Substância, apenas quando os sintomas cognitivos excedem aqueles habitualmente associados com a síndrome de abstinência e quando os sintomas são suficientemente severos para indicarem uma atenção clínica independente.

Codificar Delirium por Abstinência de [Substância Específica]:

291.0 Álcool;

292.81 Sedativo, Hipnótico ou Ansiolítico;

292.81 Outra Substância [ou Substância Desconhecida]).


Seu Nome:

Seu E-mail:

Nome do amigo:

E-mail do amigo:

Mensagem:

Código de segurança (Repita o código):
 


Home :: Eventos :: Dicionário :: DSM-IV :: CID-10 :: Contato               PsicNet - Todos os direitos reservados