Concepção, Gestação, Bebê e Infância
Casal e Família
Relações de Gênero
Sexualidade Humana
DST's & AIDS
Métodos Contraceptivos
Estresse & Ansiedade
Medos & Fobias
Saúde & Prevenção
Hábitos e Disfunções Alimentares
Qualidade de Vida
Neurociências
Dependência química
Farmacologia
Psicologia Organizacional
Psicologia Acadêmica
Psicologia do Trânsito
Ética & Legislação
Direitos e Declarações Universais
Instituições
Notícias
Indicações Bibliograficas
Utilidade pública
Normas e Responsabilidades
Sobre o Site



Marcos A. L. Renna - Contato: 2965-4042 / 98458-4892
DSM-IV
4ª Edição
Home » DSM-IV » Abstinência de Nicotina - 292.0  

Abstinência de Nicotina - 292.0  

F17.3 - 292.0  Abstinência de Nicotina

Consultar também o texto e os critérios para Abstinência de Substância . A característica essencial da Abstinência de Nicotina é uma síndrome característica de abstinência que se desenvolve após a cessação abrupta ou redução do uso de produtos contendo nicotina após um período prolongado (de pelo menos algumas semanas) de uso diário (Critérios A e B). A síndrome de abstinência inclui quatro ou mais dos seguintes sintomas: humor disfórico ou deprimido; insônia; irritabilidade, frustração ou raiva; ansiedade; dificuldade para concentrar-se; inquietação ou impaciência; freqüência cardíaca diminuída e aumento do apetite ou ganho de peso. Os sintomas de abstinência causam sofrimento significativo ou prejuízo no funcionamento social, ocupacional ou em outras áreas importantes de funcionamento (Critério C). Os sintomas não devem ser decorrentes de uma condição médica geral nem melhor explicados por outro transtorno mental (Critério D).

Esses sintomas se devem, em grande parte, à privação de nicotina, e tipicamente são mais intensos entre os indivíduos que fumam cigarros do que entre aqueles que usam outros produtos contendo nicotina. O início mais rápido dos efeitos da nicotina ao fumar cigarros leva a um padrão de hábito mais intensivo e mais difícil de abandonar, em vista da freqüência e rapidez do reforço e maior dependência física da nicotina. Em indivíduos que fumam cigarros, a freqüência cardíaca diminui em 5 a 12 batimentos por minuto nos primeiros dias após a cessação do hábito de fumar, e o peso aumenta em média 2 a 3 kg ao longo do primeiro ano. Leves sintomas de abstinência podem ocorrer após a mudança para cigarros com baixo teor de alcatrão e nicotina e após a cessação do uso de tabaco de mascar, goma de nicotina ou adesivos de nicotina.

 

Critérios Diagnósticos para F17.3 - 292.0 Abstinência de Nicotina

 

A. Uso diário de nicotina por pelo menos algumas semanas.

 

B. Cessação abrupta do uso de nicotina, ou redução na quantidade de nicotina usada, seguidas dentro de 24 horas por quatro (ou mais) dos seguintes sinais:

(1) humor disfórico ou deprimido

(2) insônia

(3) irritabilidade, frustração ou raiva

(4) ansiedade

(5) dificuldade para concentrar-se

(6) inquietação

(7) freqüência cardíaca diminuída

(8) aumento do apetite ou ganho de peso

 

C. Os sintomas no Critério B causam sofrimento clinicamente significativo ou prejuízo no funcionamento social, ocupacional ou outras áreas de funcionamento importantes.

 

D. Os sintomas não se devem a uma condição médica geral nem são melhor explicados por outro transtorno mental.

Informações Adicionais sobre Transtornos Relacionados à Nicotina

Características e Transtornos Associados

 

Características descritivas e transtornos mentais associados. A premência é um elemento importante na Abstinência de Nicotina e pode explicar a dificuldade que os indivíduos têm de abandonar os produtos contendo nicotina. Outros sintomas associados à Abstinência de Nicotina incluem um desejo por doces e um desempenho prejudicado em tarefas que exigem vigilância. Diversas características associadas com a Dependência de Nicotina parecem predizer um maior nível de dificuldade na cessação do uso de nicotina: fumar logo após acordar, fumar quando enfermo, dificuldade para evitar fumar; afirmativa de que o primeiro cigarro do dia é o mais difícil de abandonar, e fumar mais pela manhã do que à tarde. O número de cigarros fumados por dia, o teor de nicotina do cigarro e o número de maços / ano também estão relacionados à probabilidade de um indivíduo deixar de fumar. A Dependência de Nicotina é mais comum entre indivíduos com outros transtornos mentais. Dependendo da população estudada, 55 a 90% dos indivíduos com outros transtornos mentais fumam, em comparação com 30% na população geral. Transtornos do Humor, de Ansiedade e outros Transtornos Relacionados a Substâncias podem ser mais comuns em indivíduos que fumam do que nos ex-fumantes e naqueles que jamais fumaram.

Achados laboratoriais associados. Os sintomas de abstinência estão associados com uma lentificação do EEG, aumento dos níveis de catecolaminas e cortisol, alterações nos movimentos oculares rápidos (REM), prejuízo na testagem neuropsicológica e taxa metabólica diminuída. Fumar aumenta o metabolismo de muitos medicamentos prescritos para o tratamento de transtornos mentais e de outras substâncias. Portanto, a cessação do fumar pode aumentar os níveis sangüíneos desses medicamentos e de outras substâncias, às vezes em um grau clinicamente significativo. Este efeito parece não ser devido à nicotina, mas sim a outros componentes do tabaco. A nicotina e seu metabólito cotinina podem ser medidas no sangue, saliva ou urina. As pessoas que fumam também têm testes de função pulmonar diminuída e volume corpuscular médio (VCM) aumentado.

Achados do exame físico e condições médicas gerais associadas. A Abstinência de Nicotina pode estar associada com tosse seca e improdutiva, freqüência cardíaca diminuída, aumento do apetite ou ganho de peso e resposta ortostática deprimida. Os sinais mais comuns de Dependência de Nicotina são odor de tabaco, tosse, evidência de doença pulmonar obstrutiva crônica e de tabaco nos dedos podem ocorrer, mas são raras. O uso de tabaco pode aumentar acentuadamente o risco de câncer pulmonar, oral e de outras espécies; condições cardiovasculares e cerebrovasculares; doenças obstrutivas crônicas e outras doenças pulmonares; úlceras; complicações maternas e fetais, e outras condições. Embora a maior parte desses problemas pareça ser causada pelos carcinógenos e monóxido de carbono da fumaça do tabaco, ao invés de pela nicotina em si, a nicotina pode aumentar o risco de eventos cardiovasculares. Aqueles que jamais fumaram mas são cronicamente expostos ao tabaco parecem estar em risco aumentado para condições tais como câncer pulmonar e doença cardíaca.

 

Características Específicas à Cultura, à Idade e ao Gênero

A prevalência do hábito de fumar está diminuindo nos países industrializados, mas está aumentando nas áreas em desenvolvimento. Nos Estados Unidos, a prevalência do hábito de fumar é levemente maior nos homens do que nas mulheres; entretanto, a prevalência está diminuindo mais rapidamente entre os homens do que entre as mulheres. Em outros países, o hábito de fumar é freqüentemente muito mais prevalente entre os homens.

 

Prevalência

 

Nos Estados Unidos, aproximadamente 45% da população geral jamais fumou. O restante ajusta-se a uma ou mais das seguintes categorias:

25% são ex-fumantes,

30% atualmente fumam cigarros,

4% usam cachimbo e charutos, e

3% usam tabaco de mascar.

Nos Estados Unidos, a prevalência do hábito de fumar tem diminuído em aproximadamente 0,7-1,0% ao ano. A prevalência da Dependência de Nicotina durante a vida na população geral está estimada em 20%. Nos Estados Unidos, entre 50 e 80% dos indivíduos que atualmente fumam têm Dependência de Nicotina. A prevalência da Abstinência de Nicotina durante a vida entre pessoas que fumam parece ser de cerca de 50%. Prospectivamente, estima-se que cerca de 50% daqueles que abandonam o cigarro por conta própria e 75% daqueles que ingressam em programas de tratamento experimentam Abstinência de Nicotina quando deixam de fumar.

 

Curso

 

O hábito de fumar geralmente começa no início da adolescência. Não está clara a velocidade com a qual a dependência se desenvolve. Entre aqueles que continuam a fumar depois dos 20 anos, 95% [238]tornam-se fumantes regulares e diários. Daqueles que abandonam o cigarro com sucesso, menos de 25% conseguem fazê-lo na primeira tentativa. A maioria dos indivíduos que fumam tem 3 a 4 fracassos antes de deixar definitivamente de fumar. Nos Estados Unidos, cerca de 45% daqueles que algum dia fumaram acabam abandonando o hábito. Os sintomas de abstinência podem começar algumas horas após a cessação, tipicamente atingindo um pico em 1-4 dias, e durar por 3 a 4 semanas. Os sintomas depressivos pós-cessação podem estar associados com uma recaída do hábito de fumar. Ainda existem debates acerca de os sintomas de Abstinência de Nicotina exercerem ou não um papel na recaída. O aumento da fome e o ganho de peso freqüentemente persistem por pelo menos 6 meses. Seis meses depois de parar, 50% dos indivíduos que deixaram de fumar relatam o desejo por um cigarro nas últimas 24 horas.

 

Padrão Familial

 

O risco para fumar aumenta três vezes se um parente biológico em primeiro grau fuma. Estudos de gêmeos e de adoções indicam a contribuição de fatores genéticos para o início e continuação do fumar, com o grau de herança sendo equivalente àquele observado com relação à Dependência de Álcool.

 

Diagnóstico Diferencial

 

Para uma discussão geral sobre o diagnóstico diferencial dos Transtornos Relacionados a Substâncias.

Os sintomas de Abstinência de Nicotina sobrepõem-se às seguintes condições: outras síndromes de abstinência; Intoxicação com Cafeína; Transtornos do Humor, de Ansiedade e do Sono, e acatisia induzida por medicamentos. A admissão a unidades de internação onde é proibido fumar pode induzir sintomas de abstinência capazes de imitar, intensificar ou disfarçar outros diagnósticos. A redução dos sintomas associada com o reinício do fumar ou com uma terapia de substituição da nicotina confirma o diagnóstico.

Uma vez que o uso de nicotina parece não prejudicar o funcionamento mental, a Dependência de Nicotina não é facilmente confundida com outros Transtornos Relacionados a Substâncias e transtornos mentais.


Seu Nome:

Seu E-mail:

Nome do amigo:

E-mail do amigo:

Mensagem:

Código de segurança (Repita o código):
 


Home :: Eventos :: Dicionário :: DSM-IV :: CID-10 :: Contato               PsicNet - Todos os direitos reservados