Concepção, Gestação, Bebê e Infância
Casal e Família
Relações de Gênero
Sexualidade Humana
DST's & AIDS
Métodos Contraceptivos
Estresse & Ansiedade
Medos & Fobias
Saúde & Prevenção
Hábitos e Disfunções Alimentares
Qualidade de Vida
Neurociências
Dependência química
Farmacologia
Psicologia Organizacional
Psicologia Acadêmica
Psicologia do Trânsito
Ética & Legislação
Direitos e Declarações Universais
Instituições
Notícias
Indicações Bibliograficas
Utilidade pública
Normas e Responsabilidades
Sobre o Site



Marcos A. L. Renna - Contato: 2965-4042 / 98458-4892
Terceira Idade
Home » Saúde & Prevenção » Terceira Idade » Tema

A Infecção Bacteriana na 3ª Idade
22/12/2004 - 02h14m

A bactéria é um tipo de micróbio muito característico que existe na natureza junto a plantas e animais e que eventualmente pode provocar infecções.

Na terceira idade as infecções bacterianas atingem preferencialmente as vias urinárias e as vias aéreas. A
bactéria denominada estreptococo é uma causa de amigdalite e de faringite tanto em crianças como em idosos. O contágio se dá de pessoa para pessoa e se acentua em ambientes fechados.

O tratamento das infecções bacterianas é baseado em antibióticos tipo penicilina e seus derivados. O antibiótico é substância utilizada para a cura e controle de muitas doenças infecciosas.

A sua grande importância está no controle de doenças bacterianas e tem pouca utilidade nas doenças provocadas por
vírus (viroses), por parasitas (parasitoses) e fungos (micoses).

Não são substâncias inócuas e devem ser utilizadas com muito cuidado. Na terceira idade ocorre uma tendência a ocorrer várias modificações quando à distribuição de medicamentos no organismo. Tais modificações dependem principalmente do estado de hidratação da pessoa, da sua função renal e das funções do sistema digestivo (estômago e fígado).

O conhecimento de utilização simultânea de outras substâncias é fundamental, pois com freqüência pode ocorrer interações entre medicamentos com efeitos negativos. A utilização de antibióticos deve ser feita com muito critério.

A escolha do antibiótico deve ser feita, sempre que possível, em função da identificação da
bactéria (antibiograma). A sua dosagem deve ser eficiente sem ser tóxica.

Nada pior para o organismo que a administração de antibiótico em doses ineficientes, pois geram resistência por parte da
bactéria sem eliminá-la. A duração do tratamento deve ser sempre muito bem indicada. O antibiótico deve ser utilizado na dose correta e por tempo preciso.

Fonte: Bibliomed




Nome:

E-mail:

Telefone:

Dúvida:

Código de segurança (Repita o código):
 



Seu Nome:

Seu E-mail:

Nome do amigo:

E-mail do amigo:

Mensagem:

Código de segurança (Repita o código):
 


Home :: Eventos :: Dicionário :: DSM-IV :: CID-10 :: Contato               PsicNet - Todos os direitos reservados